Anvisa - O maior arquivo de bulas digitalizadas da América Latina

| AddThis

O Desafio:

Digitalizar mais de 80 milhões de documentos e, ao mesmo tempo, implantar um serviço de busca eficiente e ágil.

O Resultado:

Um dos mais modernos sistemas de armazenamento e disponibilização de dados públicos do país. A Montreal foi responsável pela digitalização dos arquivos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), um acervo da maior importância para a população. O banco de dados da Anvisa reúne informações sobre todos os medicamentos comercializados no Brasil, incluindo suas respectivas bulas, relação de todos os laboratórios farmacêuticos e detalhes sobre alimentos industrializados e seus fabricantes, entre outras publicações de interesse público.


O projeto com a Anvisa começou em 2009, com o objetivo de criar um sistema de gestão documental que permitisse a tramitação, captura, pesquisa, armazenamento e preservação de arquivos eletrônicos e não eletrônicos. Para executar este complexo processo, a Montreal valeu-se de toda a sua experiência como uma das maiores provedoras de soluções no segmento GED-ECM (Gerenciamento Eletrônico de Documentos-Enterprise Content Management) da América Latina. Entre outros trabalhos similares, a empresa foi responsável pela implementação de soluções em gestão de documentos de arquivos da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, da Oi, da Transpetro e do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). 

O trabalho realizado junto à Anvisa, concluído em dois anos, foi uma demonstração de como a tecnologia pode revolucionar a gestão de órgãos públicos no Brasil. Entre medicamentos em geral, remédios com venda controlada e artigos de consumo – desde uma caixa de sabão em pó a um kit de maquiagem –, a Montreal digitalizou, por dia, uma média de 420 caixas com documentos e informações referentes a milhares de produtos, o correspondente a mais de 500 mil imagens. Ao todo, a empresa mobilizou uma equipe de 89 profissionais para o trabalho junto a Anvisa.
O banco de dados da agência tem uma característica peculiar, que aumenta ainda mais sua relevância. Eles reúnem especificações e características de produtos de massa, utilizados por milhões de brasileiros. Ao mesmo tempo, envolvem duas áreas intimamente associadas ao bem-estar do indivíduo, saúde e alimentação. São, portanto, informações que despertam o amplo interesse da sociedade. Não por acaso, a Anvisa registra um dos maiores índices de acesso a acervos digitais de órgãos públicos de todo o país. A Agência disponibiliza, por exemplo, mais de 450 versões da tradicional Novalgina e centenas de referências à fórmula da pomada Minancora, dois dos remédios mais vendidos do país. Após a implantação das soluções desenvolvidas pela Montreal, uma pesquisa ao sistema da Anvisa com a palavra “medicamento”, uma das mais repetidas em todo o acervo, leva apenas 2,5 milésimos de segundo para ser concluída. Isso, ressalte-se, em um universo formado por mais de 60 milhões de páginas.
As soluções de GED-ECM adotadas pela Montreal conferiram também maior segurança a todo o acervo eletrônico da Anvisa. O sistema permite total controle sobre os acessos, mesmo feitos por meio de computadores externos.
“As tecnologias oferecidas pela Montreal não se limitam à guarda ou à busca das informações. A empresa também disponibiliza soluções avançadas de segurança de acesso, com auditoria eletrônica, que evita o extravio ou a falsificação de documentos. Além disso, todas elas asseguram a manutenção dos sistemas mesmo em caso de acidentes patrimoniais, como um incêndio, por exemplo. Trata-se de uma proteção fundamental quando se trata de um projeto que envolve a preservação de um importante banco de dados”, explica Irineu Granato, Gerente de Tecnologia da Montreal.
A captura e o gerenciamento da informação em meio digital são ilimitados. O trabalho na Anvisa pode ser replicado em escala nacional. “A tecnologia que temos permite a documentação de todo o acervo de órgãos públicos do Brasil”, afirma Granato. 

O projeto com a Anvisa começou em 2009, com o objetivo de criar um sistema de gestão documental que permitisse a tramitação, captura, pesquisa, armazenamento e preservação de arquivos eletrônicos e não eletrônicos. Para executar este complexo processo, a Montreal valeu-se de toda a sua experiência como uma das maiores provedoras de soluções no segmento GED-ECM (Gerenciamento Eletrônico de Documentos-Enterprise Content Management) da América Latina. Entre outros trabalhos similares, a empresa foi responsável pela implementação de soluções em gestão de documentos de arquivos da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, da Oi, da Transpetro e do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). 

O trabalho realizado junto à Anvisa, concluído em dois anos, foi uma demonstração de como a tecnologia pode revolucionar a gestão de órgãos públicos no Brasil. Entre medicamentos em geral, remédios com venda controlada e artigos de consumo – desde uma caixa de sabão em pó a um kit de maquiagem –, a Montreal digitalizou, por dia, uma média de 420 caixas com documentos e informações referentes a milhares de produtos, o correspondente a mais de 500 mil imagens. Ao todo, a empresa mobilizou uma equipe de 89 profissionais para o trabalho junto a Anvisa.
O banco de dados da agência tem uma característica peculiar, que aumenta ainda mais sua relevância. Eles reúnem especificações e características de produtos de massa, utilizados por milhões de brasileiros. Ao mesmo tempo, envolvem duas áreas intimamente associadas ao bem-estar do indivíduo, saúde e alimentação. São, portanto, informações que despertam o amplo interesse da sociedade. Não por acaso, a Anvisa registra um dos maiores índices de acesso a acervos digitais de órgãos públicos de todo o país. A Agência disponibiliza, por exemplo, mais de 450 versões da tradicional Novalgina e centenas de referências à fórmula da pomada Minancora, dois dos remédios mais vendidos do país. Após a implantação das soluções desenvolvidas pela Montreal, uma pesquisa ao sistema da Anvisa com a palavra “medicamento”, uma das mais repetidas em todo o acervo, leva apenas 2,5 milésimos de segundo para ser concluída. Isso, ressalte-se, em um universo formado por mais de 60 milhões de páginas.

As soluções de GED-ECM adotadas pela Montreal conferiram também maior segurança a todo o acervo eletrônico da Anvisa. O sistema permite total controle sobre os acessos, mesmo feitos por meio de computadores externos.

“As tecnologias oferecidas pela Montreal não se limitam à guarda ou à busca das informações. A empresa também disponibiliza soluções avançadas de segurança de acesso, com auditoria eletrônica, que evita o extravio ou a falsificação de documentos. Além disso, todas elas asseguram a manutenção dos sistemas mesmo em caso de acidentes patrimoniais, como um incêndio, por exemplo. Trata-se de uma proteção fundamental quando se trata de um projeto que envolve a preservação de um importante banco de dados”, explica Irineu Granato, Gerente de Tecnologia da Montreal.

A captura e o gerenciamento da informação em meio digital são ilimitados. O trabalho na Anvisa pode ser replicado em escala nacional. “A tecnologia que temos permite a documentação de todo o acervo de órgãos públicos do Brasil”, afirma Granato.